De Tabelinha com Patrícia Gusmão


Patrícia, hoje com 40 anos, comanda a equipe feminina do Grêmio Futebol Porto Alegrense, ela que já foi atleta durante 20 anos, já treinou outras equipes e conta para a gente sua trajetória no esporte, confira!

1) Patrícia, primeiramente gostaria de agradecer em nos receber. Tu poderias contar um pouco da tua história no futebol?

Eu que agradeço por tudo que fazem pela modalidade e pela oportunidade de estar falando uma pouco sobre minha história.

Comecei aos 17 anos como atleta, joguei 8 anos no Inter, depois fui para SP, onde joguei 3 anos no Botucatu, São Bernardo e Corinthians. Estive por 2 anos na  Coreia do Sul e quando retornei em 2014 para o Rio Grande do Sul, resolvi atuar de uma forma diferente, como treinadora. Desde então é meu sexto ano à frente de uma equipe.

2) Como é, hoje, sua rotina de técnica do time feminino do GFPA.

Bom, aqui no Grêmio estamos treinando no período da manhã, todos os dias. Por vezes estamos trabalhando dois dias da semana em dois períodos. Essa é nossa rotina, montar a programação, realizar os treinos, reunir e trocar idéias como o pessoal da comissão técnica e depois ajudar a resolver todas as situações que envolvem todo o processo, que quem trabalha com Futebol Feminino já conhece.

3) Você acha que falta respaldo para o futebol feminino? Que os times têm a mesma capacidade e deveriam receber melhores condições e visibilidade?

Eu acredito que a cada ano a modalidade vem evoluindo bastante, é claro que temos que seguir assim e buscar estruturar cada vez mais a modalidade.

Como sempre falo, não quero equiparações com o Futebol Masculino, mas queremos condições dignas para realizar nosso trabalho. Contratos, bons salários, campeonatos longos e estrutura para realizar os treinamentos.

4) Por quais times você já passou como técnica?

Iniciei em 2014 numa parceria entre Cruzeiro/Onze em Cachoeirinha RS. Dois anos (2015/2016) em Canoas, na equipe da Prefeitura, nestes três primeiros anos três títulos gaúchos consecutivos. Em 2017 Fui convidada a treinar à Seleção Gaúcha, que logo fez parceria com o Grêmio. Em 2018 atuei como auxiliar técnica no Internacional e em 2019 retorno ao Grêmio.

5) Como você define a equipe que trabalha hoje?

Estamos trabalhando para construir uma equipe muito forte e competitiva, o Grêmio vem nos dando todo o apoio para isso. E nosso principal objetivo neste ano é conseguir uma das quatro vagas para série A1 e jogar na elite do futebol feminino.